Paróquia de Belo Horizonte recebe seu novo pároco

Paróquia de Belo Horizonte recebe seu novo pároco

Paróquia de Belo Horizonte recebe seu novo pároco

BELO HORIZONTE. Neste ultimo 29 de janeiro, às 19hs, foi realizada, na paróquia Nossa Senhora da Divina Providência, no bairro Pampulha, em Belo Horizonte, a celebração de posse do novo pároco, Padre Erli Lopes Cardoso. Ele estava em Brasília, onde atuava como secretário provincial da província Nossa Senhora de Fátima – Brasil Norte desde 2005. A Celebração, prestigiada por centenas de fieis, foi presidida por Dom Wilson Luis Angotti Filho, bispo auxiliar da Arquidiocese de Belo Horizonte e concelebrada por vários sacerdotes orionitas, entre eles o atual provincial, padre Tarcisio Vieira, que até então, era o pároco. Também estiveram presentes os estudantes de teologia e filosofia, ambos envolvidos nesta liturgia de posse.

Ao final da celebração, Pe. Erli Lopes, em sua mensagem, fez uma simples reflexão em torno de três palavras: “GRATIDÃO, CONFIANÇA, COMUNHÃO” e pediu a oração dos paroquianos. Este seu gesto de entrega à vontade de Deus gerou comoção na assembleia que aplaudiu com fervor e demonstrou grande alegria e o entusiasmo em receber o novo pároco.

Após a celebração, Pe. Erli participou, juntamente com os paroquianos, familiares, amigos, religiosos e demais sacerdotes de um coquetel oferecido em sua homenagem. Auguramos sucesso, felicidades e um excelente pastoreio do rebanho que lhe foi confiado! Parabéns!

Cl. Erenaldo Chaves – Teologia

 

CONFIRA A MENSAGEM DO NOVO PÁROCO…

Mensagem por ocasião da posse como pároco da Paróquia N. Sra da Divina Providência

 

Excelentíssimo Dom Wilson Luis Angotti, bispo auxiliar de Belo Horizonte;

Revmº. Pe. Tarcísio Vieira, diretor provincial da Província N. Sra. de Fátima;

Prezados irmãos no sacerdócio;

Religiosos, Religiosas, membros das diversas pastorais e movimentos;

Paroquianos,

 

Este dia ficará marcado em minha vida. Deixo como primeira mensagem, como pároco desta querida Paróquia, uma simples reflexão em torno de três palavras.

 

1ª) Gratidão: penso ser uma das maiores virtudes humanas a capacidade de agradecer, isto é, de reconhecer os favores recebidos imerecidamente. Neste sentido, primeiramente, meu pensamento se eleva e meu ser se curva em agradecimento a Deus. Ele me chamou à vida, plantou em meu coração o germe da vocação religiosa e sacerdotal.

À família orionita, que me acolheu, me formou e hoje, na pessoa do diretor provincial da Província Nossa Senhora de Fátima, Pe. Tarcísio Vieira, confia a mim esta missão;

À minha família, aqui representada pelos meus pais, que generosamente me acolheu, juntamente com mais 4 irmãos e a todos educaram na simplicidade, nos valores e sobretudo, na fé católica. Sou devedor dessa fé, dessa educação, desse grande legado familiar.

Minha gratidão a toda Paróquia N. Sra. da Divina Providência, as comunidades eclesiais, comunidades religiosas, pastorais, movimentos e ministérios, pela calorosa acolhida manifestada nas mensagens recebidas, encorajando-me, e na participação desta belíssima celebração eucarística, fazendo-me sentir, já, membro desta grande família.

 

2ª) Confiança: diz o autor sagrado: “tudo posso naquele que me fortalece”. Assim, confiança se torna sinônimo de fé. É bastante sugestiva a bandeira do Estado do Espírito Santo onde está escrito: “trabalha e confia”. Portanto, manifesto uma profunda confiança em Deus para cumprir esta missão. E esta confiança deverá ser fortalecida continuamente, bebendo nas fontes de nossa espiritualidade cristã: a Palavra de Deus e os sacramentos, em especial a Eucaristia. Enfim, trabalhar como se tudo dependesse de nós e, ao mesmo tempo, confiar como se tudo dependesse de Deus.

 

3ª) Comunhão: para falar de comunhão é muito útil a parábola do time de futebol; ninguém ganha uma partida de futebol sozinho. O fundamento deste esporte é a comunidade: são 11 jogadores, embora em posições e funções diferenciadas, todos movidos por um único objetivo, o gol. Não queremos jogar sozinhos. Queremos formar uma comunidade onde todos, sacerdotes, religiosos/as, pastorais, movimentos e leigos trabalhando em conjunto, sejamos capazes de edificar a comunidade eclesial.

 

Por fim, não podemos nos esquecer de Nossa Senhora. A nossa Paróquia é a ela dedicada, sob o título de Nossa Senhora da Divina Providência. Que Nossa Senhora, como fez há dois mil anos atrás na festa do casamento em Caná da Galiléia com aqueles que trabalhavam, nos aponte o Cristo e nos diga: “fazei tudo o que Ele vos disser”.  

“Ave Maria e avante!”

 

Muito obrigado!

 

Pe. Erli Lopes Cardoso

 

 

 

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This