O alvorecer do Pequeno Cotolengo Mineiro

O alvorecer do Pequeno Cotolengo Mineiro

No Lar dos Meninos Dom Orione, de Belo Horizonte, surge um novo atendimento que é visto como o “embrião” do Pequeno Cotolengo em terras mineiras.

 

Belo Horizonte. O dia 1º de abril de 2016 entrará para a história do “Lar dos Meninos Dom Orione”, de Belo Horizonte. Nesta data, uma nova atividade caritativa tem seu início utilizando a estrutura não somente física, mas também institucional do “Lar”. Nesta data, começam a fazer parte da “família do Lar” e, consequentemente, da “família orionita” 10 novos residentes.

A nova atividade caritativa é classificada oficialmente como serviço de “Acolhimento Institucional em Residência Inclusiva” que significa acolhimento de jovens e adultos, homens e mulheres, neste caso específico, portadores de alguma deficiência mental. A denominação oficial já foi dada, mas a denominação orionita para este novo projeto de atendimento caritativo tem outro nome e bem poderá ser: “Pequeno Cotolengo Mineiro”.

Bem sabemos das novas normas públicas de acolhimento, em que não se prevê mais o atendimento, dito, institucionalizado. Por tal motivo, os acolhidos não poderão residir em definitivo no prédio do Lar dos Meninos. O que se está fazendo, em obediência às novas leis para atendimento social, é alugar uma casa próxima ao Lar e utilizar a estrutura do Lar como um lugar de apoio. Na prática, os atendidos serão acolhidos numa casa, ou seja, mais do que nunca, num “Lar”, administrado pelo “Lar dos Meninos Dom Orione”.

Quem sabe possa estar surgindo uma nova modalidade de atendimento caritativo. Esta residência inclusiva pode ser a primeira de outras casas, que ficarão situadas, de alguma forma, em volta do prédio do Lar dos Meninos e que utilizarão a sua estrutura como um ponto de apoio para atividades comunitárias, de convivência, de lazer. Poderíamos ver nisso o “embrião” de um projeto que transformaria o prédio do Lar dos Meninos num centro de atendimento especializado para portadores de deficiência, seja em vista dos residentes e também do público externo.

Neste dia 1º de abril são acolhidos 10 residentes adultos, portadores de deficiência mental, sendo 6 mulheres e 4 homens. Permanecerão no prédio do Lar dos Meninos, durante o mês de abril, até o final dos preparativos da nova residencia. Se Deus quiser, em maio, quem sabe no dia de São Luís Orione, 16 de maio, passarão a residir no “Lar Dom Orione”.

Informou Pe. Rezende que o plano de trabalho junto à Prefeitura já foi feito. Disse também que a Divina Providência, com sua mão generosa, não tem faltado: doações estão chegando de toda parte (camas, colchões, roupas, geladeira, fogão, TV, som, máquina de lavar, sofás, mesas, utensílios, cadeira de roda, cadeira de banho, cama hospitalar e muito mais). Pessoas e grupos oferecem o trabalho voluntário. Sinal de que o “Lar dos Meninos” tem ainda nome e é referência de atendimento sócio caritativo. Certamente as preocupações existem. Mas… com Dom Orione como intercessor, tanta confiança na Divina Providência e tanta recompensa de bem para quem se sacrifica em prol dos mais necessitados.

A Comunidade de Belo Horizonte – Lar dos Meninos pede as orações de todos. E rezaremos com fervor, confiando ao Sagrado Coração de Jesus este novo atendimento em nome da caridade orionita. Uma Ave Maria seja rezada pessoalmente: depois da “Ave Maria”, avante!

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Share This