Missão Popular Orionita em Alagoas

Missão Popular Orionita em Alagoas

Cem Anos de Presença Orionita no Brasil:

Missão Popular em Traipú, no Estado de Alagoas. Na Paróquia do Orionita de coração, Pe. Rosalvo dos Santos.

 

Traipú. No ano da celebração dos 100 anos de missão orionita a Província Nossa Senhora de Fátima, motivou os religiosos a empreenderem missões populares, com o intuito de viver, no hoje da nossa história, o que viveram os primeiros missionários italianos, quando deixaram tudo para iniciar uma nova história da Pequena Obra nas terras do Pau Brasil.

O Filosófico São José de Caucaia acolheu o desafio e partiu em missão (cerca de 1.000 km de distancia), durante os dias 12 a 19 de janeiro! Os missionários que formaram o grupo de serviço, também refletia a constituição do primeiro grupo enviado por São Luis Orione: leigos e religiosos trabalhando juntos. Vinte e três missionários partiram em missão, três padres, dez religiosos e dez leigos orionitas. Deo Gratias!

A missão foi vivida em Alagoas, na cidade de Traipú – situada às margens do Rio São Francisco – cidade histórica, traz em sua Igreja a marca da fé de um povo, que prevalece diante os desmazelos de uma “ainda” política do “toma lá da cá” e do coronelismo. Dom Valério Breda é bispo da Diocese de Penedo, onde está inserida a Paróquia de Nossa Senhora do Ó, pastoreada pelo Pe. Rosalvo.

Fomos recebidos e enviados por Dom Valério em missão. Pe. Rosalvo, um orionita de fato, como João Batista, preparou-nos os caminhos para a empreita missionária.

A Paróquia Nossa Senhora do Ó é formada por quarenta comunidades, divida em cinco grandes povoados, são eles: Matriz e Assentamento, Mombaça e Santo Antônio, Capivara e Pinharas. Os grupos de missão foram divididos para que atuassem nessas grandes localidades.

Os desafios foram muitos…

O maior deles foi o da “carência social” vivida pela população da Paróquia Nossa Senhora do Ó. Mesmo às margens do São Francisco, a água ainda é artigo de luxo em muitos povoados. O saneamento básico não saiu do papel. A educação não é para todos, dado que em alguns lugares as escolas não funcionam por falta de água e alimentação. As oportunidades de trabalho? Estão a alguns quilômetros de distância, nos grandes centros como Arapiraca e Maceió. Não obstante todo o “desmazelo político”, o povo é de muita fé. Por onde andamos, as pessoas que visitamos, as casas que abençoamos, nós encontramos homens e mulheres, jovens e crianças cheios de esperança, virtude própria dos filhos da fé.

Depois de dez dias vivendo a missão saímos com uma certeza: nós missionários nos convertemos em pessoas melhores. Em locais sem o mínimo necessário para o bem viver, encontramos o essencial. E se para alguns ou em determinados lugares o “essencial se vela aos olhos”, nessa missão, na graça de Deus, ele nos foi revelado.

Que o bem continue a ser feito! Ave Maria e Avante!

Pe. Bruno Rodrigues – Orionita.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This