Mensagem de Natal do nosso Superior Geral, Don Flávio Peloso

Mensagem de Natal do nosso Superior Geral, Don Flávio Peloso

O CHAMADO DE DEUS

O Natal traz em todos um despertar de alegria, uma explosão de bondade, de gosto pela bela vida. O Natal desperta o desejo daquele “reino” de paz, de justiça e de fraternidade do qual fala o Evangelho, pátria amada, mesmo  que estejamos longe e quase estranhos.             

Para entender o que acontece com o Natal de Jesus, o que nos acontece todos os anos, recorro a um fenômeno da natureza, o que acontece com o cuco ou mesmo com as perdizes.
Os ovos destas aves muitas vezes são colocados em um ninho estranho. Os pequenos crescem e familiarizam-se no ninho onde nasceram, sem saber de suas origens. Mas se acontece que a verdadeira mãe passa nas proximidades e envia o seu chamado, o pequeno imediatamente o reconhece, desperta nele uma sintonia natural que deixa o ninho e se coloca a caminho.                

“Não diferentemente acontece, no que diz respeito ao nosso coração”, observou São Francisco de Sales. “Embora, de fato, ele seja chocado, nutrido e criado em meio às coisas deste mundo, materiais e efêmeros, e, por assim dizer, sob as asas da natureza, no entanto, ao primeiro olhar, que lança em direção a Deus, o primeiro conhecimento que recebe, a natural e original inclinação para amar Deus, que era  latente e imperceptível, acorda em um instante e de repente aparece, como uma centelha entre as cinzas. E essa inclinação, agindo sobre a nossa vontade, lhes imprime um impulso daquele amor”.          

Jesus é “o chamado de Deus”. Ele veio entre nós despertando a nossa natureza divina, silenciosa mas viva. Mesmo hoje, olhando para o “Menino que nos foi dado”, sentimos uma vibração de verdade e naturalidade que nos surpreende com um impulso inesperado do coração, com uma pontada de simpatia por Jesus e aquele seu “reino”, tão humano e tão divino, que sentimos nosso.                

Deus continua a nos enviar os sinais de sua presença, como uma mãe que por dias e semanas inteiras cuida e sorri para o seu filho, inconsciente, até que chega o dia em que a criança lhe responde com um sorriso, reconhecendo a mãe e reconhecendo a si mesmo em relação a ela.

Cada ato de amor é um sinal de Deus que desperta em nós a humanidade dos filhos de Deus.
Dom Orione concebeu a sua Pequena Obra “para levar a todos a experimentar  a Divina Providência por meio da caridade… que abre os olhos da fé e aquece os corações de amor a Deus”.         

Feliz Natal e Feliz Ano Novo, caros confrades, Filhos da Divina Providência: “É necessário que sobre cada passo nosso se crie e floresça uma obra de fraternidade, de humanidade, de caridade puríssima e santíssima. E todos acreditarão em vocês!”.                       

Feliz Natal e Feliz 2016, às Pequena Irmãs Missionárias da Caridade, às quais Dom Orione explicou que “Missionárias significa ir para evangelizar o mundo com a caridade”.          

Feliz Natal e Feliz 2016, a tantos leigos e leigas do Instituto Secular e do Movimento Laical Orionita: “Evitem as palavras: de palavras estamos fartos”. A face da terra è renovada no calor da primavera; mas o mundo moral só terá vida nova a partir do calor da caridade”.

Dirijo os meus melhores votos de um Feliz Natal e Feliz 2016 para todos os que vivem ou participam de nossas casas, escolas, paróquias e missões: “Que a fé cresça vigorosa em todos vocês! Fé acompanhada de boas obras, de uma consciência livre do pecado, santificada pela presença dos Sacramentos”.           

Aos Amigos e Benfeitores da Pequena Obra da Divina Providência repito com Dom Orione: “tudo è grande quando è grande o coração que dá, e è a caridade de Jesus que leva a dar”.        

E a bênção de Deus Todo-Poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo, desça sobre vocês e com vocês permaneça sempre

Pe. Flavio Peloso – Superior Geral

 

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This