Memória da venerável irmã Maria Plautilla

Memória da venerável irmã Maria Plautilla

 Memória da venerável irmã Maria Plautilla    

 

Tortona-Itália. Sábado e domingo, 12 e 13 de novembro, no santuário de Nossa Senhora da Guarda, em Tortona-Itália, foi apresentada a figura de irmã Maria Plautilla que o Papa Bento XVI declarou venerável no dia 1 de julho de 2010. Durante a celebração da Santa Missa, o postulador geral, pe. Aurélio Fusi recordou a santidade da nossa venerável, caracterizada pela simplicidade de vida e pelo dom heróico às enfermas do Pequeno Cotolengo de Gênova, na Itália. O momento mais emocionante foi a celebração eucarística das 10h presidida pelo bispo de Cúneo e de Fossano, Dom Giuseppe Cavallotto. “Ir. Maria Plautilla foi uma santa para todos nós, exortou o bispo, porque não fez coisas excepcionais, mas viveu de modo excepcional o seu apostolado”. Durante a homilia Dom Cavallotto repetiu também algumas expressões da venerável que podemos considerar como seu programa de vida: “Isto que o Senhor pede nunca é demais”. Somente uma forte dimensão espiritual pode explicar a capacidade de dons que animou ir. Plautilla. Ela foi uma verdadeira missionária, desejou ardentemente ser missionária para cuidar dos leprosos, porém, sem deixar sua nação. Foi missionária com os enfermos, encontrando a força para este serviço na oração, numa particular devoção ao Sagrado Coração de Jesus e a Nossa Senhora da Divina Providência.  Na celebração em Tortona estavam presentes o pároco de Roata Chiusani, pe. Pedro Gioberta e cerca de oitenta paroquianos. A presença das irmãs orionitas foi muito significativa e fez recordar a presença da ir. Maria Plautilla na simplicidade e na humildade. O diretor provincial pe. Pirangelo Ondei, juntamente com um grupo de religiosos, representou os Filhos da Divina Providência exprimindo união e alegria às Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade. Após a missa, a memória de Madre Plautilla previa um momento de espiritualidade com as palavras da superiora geral, Madre Mabel Spagnuolo. A Madre geral recordou que a santidade não é uma característica da Igreja, mas ao contrário, uma urgência para o mundo contemporâneo, desejoso de testemunhas do evangelho. Para completar as palavras da Madre geral, pe. Aurélio Fusi ilustrou as etapas do processo de beatificação da nossa venerável, convidando a todos os presentes a invocar ir. Maria Plautilla como exemplo de vida cristã e religiosa exemplar.

Fonte: www.donorione.org

Tradução: G.S.P.

 

 

 

 

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This