JUBILEU DE OURO DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA DIVINA PROVIDÊNCIA, NO RIO DE JANEIRO

JUBILEU DE OURO DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA DIVINA PROVIDÊNCIA, NO RIO DE JANEIRO

“As pessoas gostam de estar aqui. Se preocupam com essa comunidade paroquial, zelam por ela, cresceram e crescem na devoção a Nossa Senhora da Divina Providência.”

A Paróquia Nossa Senhora da Divina Providência, localizada no bairro do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, comemora o seu aniversário de 50 anos de criação. Em razão disso, abriu-se em 20 de novembro de 2019 a celebração do seu ano jubilar que se encerrou no dia de hoje, 22 de novembro, com a solene celebração da Santa Missa presidida pelo Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta e concelebrada pelo Pároco, Pe. Ilídio Pinto; pelo Superior Provincial, Pe. Josumar dos Santos e demais sacerdotes que compõem aquela comunidade religiosa. 

Uma presença a se destacar é a das Irmãs Carmelitas Servas dos Pobres, que tem uma ligação muito profunda com a paróquia e contribuem generosamente com o serviço de evangelização. 

Dom Orani, em sua homilia, explicou a origem e a finalidade da celebração dos jubileus e ainda afirmou que: “a Paróquia Divina Providência com muita alegria vive esse tempo, jubileu, nós temos essa oportunidade, mesmo com a pandemia, de ser um momento importante para a paróquia reavivar, voltar as origens, aos inícios e viver com intensidade a sua vocação de presença nessa região, na cidade, na arquidiocese do Rio de Janeiro”. 

No final da Celebração, o Pároco, Pe. Ilídio, contou a história da paróquia, fazendo memória de todos os párocos que por ali passaram. Ele explicou que haviam muitos projetos e iniciativas para a celebração do jubileu que foram interrompidas em razão da pandemia, mas que isso não tirou nem a esperança,  nem o entusiasmo, pois aconteceram muitos momentos de oração que culminam hoje com esta grande celebração de ação de graças. 

A origem daquela comunidade paroquial está relacionada com a chegada dos religiosos orionitas que, em 1924, compraram o terreno para a construção da capela, de um Instituto profissionalizante e também do orfanato. O responsável por esse feito foi o Pe. Ângelo de Paoli. Trata-se da primeira propriedade da Pequena Obra no Brasil. Neste sentido, ela é testemunha da promessa feita pelo nosso Fundador, que em sua última visita ao Brasil, no ano de 1937, ao passear pelo corcovado e certamente avistando de lá o primeiro terreno de sua Congregação, exclamou: “Aquilo que não fiz pelo Brasil em vida, farei depois de minha morte”

Em 1970, a capela que muito contribuía para a vida pastoral e sacramental dos moradores daquela região, foi elevada à dignidade de Paróquia. Seu primeiro pároco foi o Pe. Antônio Lemos, que iniciou também a Feirinha da Providência, com a finalidade de angariar fundos para a construção da Casa de Betânia, sonho que começou a se tornar possível no ano de 1976,com as bênçãos do Cardeal Eugênio Sales e do Superior Provincial, Pe. Pattarello. 

Celebrar o Jubileu de Ouro foi uma grande oportunidade para que os paroquianos pudessem revisitar a história desta comunidade de fé e, com este espírito. a celebração da padroeira ganhou ainda mais vida. 

Durante a celebração da Santa Missa do dia 20, quando – a família orionita celebra a solenidade de Nossa Senhora da Divina Providência – o Superior Provincial, Pe. Josumar dos Santos, ao falar da relação dos paroquianos com aquela comunidade eclesial, enfatizou que: “as pessoas gostam de estar aqui. Se preocupam com essa comunidade paroquial, zelam por ela, cresceram e crescem na devoção a Nossa Senhora da Divina Providência” e acrescentou o pedido para “que nós, orionitas, possamos difundir cada vez mais essa devoção à Mãe de Deus.”

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Share This