Jubileu de ouro da Paróquia N. Sra. da Saúde de Rio Claro (SP)

Jubileu de ouro da Paróquia N. Sra. da Saúde de Rio Claro (SP)

 

Do desejo, da garra e da fé de alguns católicos em 1931, moradores no bairro Cidade Nova, em Rio Claro, predominantemente composto por ferroviários da Companhia Paulista de Estradas de Ferro, nasceu um movimento para construir uma capela em honra à Nossa Senhora da Saúde. No ano seguinte, no terreno comprado já havia algumas salas erguidas e começou o Catecismo. Em 1933 a chegada da imagem da padroeira foi saudada com grandes festejos e ela foi entronizada na nova capela, já coberta.

O trabalho constante daquele povo aliado às doações generosas fez crescer e frutificar a comunidade, que em 12 de abril de 1964 recebeu o título de Paróquia Nossa Senhora da Saúde, a terceira em Rio Claro, sob a benção de Dom Aníger Maria Francisco Melilo, que designou o primeiro pároco, nosso sempre lembrado padre Antonio Janoni. Com fecundidade, sinal visível da vivência de sua fé, vieram as Capelas Santo Antonio, Santa Luzia, Santa Maria Goretti, Abrigo da Velhice São Vicente de Paulo e o mais novo rebento, a futura capela São Luís Orione.

Em nossos dias, sob os cuidados da Congregação Orionita e a orientação da
Diocese, as pastorais da Acolhida, Batismo, Canto, Catequese, Coroinhas, Comunicação, Criança, Dízimo, Encontro de noivos, Juventude, Liturgia, Ministros e Vocacional e movimentos atuantes como Apostolado da Oração, Legião de Maria, Movimento Laical Orionita e Vicentinos dão graças a Deus, que derramou bênçãos em abundância em nossa comunidade e entoam um hino vibrante:

“Jubileu, Jubileu de Ouro, celebrando dourada história.

Teu povo é caminhante, luz, caridade e glória.

Salve Jesus, Filho de Maria, fé e santa Eucaristia.

Com Nossa Senhora, paz, saúde e alegria.”

 

Passaram 50 anos, desde que nosso primeiro pastor abençoou nossa Paróquia. Nosso Papa era o saudoso Papa Paulo VI.  Hoje seguimos com a bênção e a orientação de Dom Fernando Mason, pastor de nossa diocese de Piracicaba. Nosso Papa é o Papa Francisco.  A missão continua e estamos muito gratos a Deus, a Nossa Senhora e aos nossos santos. O tempo passou, mas a evangelização exige renovação e reverência. Reverência para os nossos antepassados na fé e  renovação para descobrimos a vontade de Deus em nossas atividades espirituais e pastorais. Sim, estamos em pleno jubileu. Que beleza! O s pássaros ainda cantam em nossos bosques, somando seus assovios às novas máquinas da modernidade. Preces ainda ecoam  em nossas capelas e ainda acendemos velas em nossas solenidades. Algumas vezes ainda acendemos tochas, para nos unirmos aos velhos indígenas que enfeitavam as planícies com seus fogaréus, parecendo desfile de pirilampos. Nossa Senhora da Saúde acolhe nossos cantos, nosso pão fala de Santo Antônio;  a pequena Maria Goretti  profetiza a pureza da alma,  nossos olhos cintilam Santa Luzia e Dom Orione  partilha ainda o pão da caridade, como aprendera nos campos da fé com São Vicente, seu mestre. Passaram 50 anos e que venham outros jubileus.  Teremos sempre fé para celebrar e novas histórias para contar. A vida renasce a cada dia.

 

Padre Antonio Sagrado Bogaz

Pároco

 

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This