Inaugurada a Igreja orionita, em Ananindeua, dedicada a Cristo Rei

Inaugurada a Igreja orionita, em Ananindeua, dedicada a Cristo Rei

Na Festa da Exaltação da Santa Cruz, foi realizada a Dedicação da Igreja Matriz “Cristo Rei”, de Ananindeua, sob a responsabilidade pastoral dos Orionitas desde 1970.

 

Ananindeua, PA. No dia 14 de setembro, foi inaugurada e Dedicada a Igreja Matriz “Cristo Rei” de Ananindeua, pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Alberto Taveira Correa, com a presença do Bispo Auxiliar, Dom Teodoro, e do Arcebispo Emérito, Dom Vicente Zico. Participaram da cerimônia, iniciada às 18h30, tantos religiosos e sacerdotes orionitas, especialmente os sacerdotes que se encontraram em Ananindeua para a Formação Permanente da Terceira Idade da Província.

A presença orionita em Ananindeua iniciou-se em 1970 com a chegada do Pe. Remigio Corazza que ficou poucos meses e foi sucedido pelo Pe. Pedro Lopes. A primeira capela construída foi em honra a Sant’Ana e era de pau-a-pique; foi derrubada por um temporal. No mesmo lugar foi construída uma capelinha onde hoje é a Igreja Matriz, tendo como padroeiro Cristo Rei. Foi nesta época, precisamente em 8 de setembro de 1972, que foi criada a Paróquia e nomeado o primeiro Pároco, Pe. Hélio Frison.

Com o passar dos anos a igreja não mais comportava o número de fiéis que aumentou rapidamente em virtude das invasões e migrações do interior para as periferias. Pe. Hélio então construiu ao lado da antiga capela, uma igreja maior no estilo de uma cabana, totalmente aberta, de acordo com as possibilidades e a realidade do povo da região. Quando a Paróquia fez 25 anos de criação sentiu-se o desejo e a necessidade de construir uma igreja maior, fechada, que oferecesse melhor comodidade e clima de espiritualidade.

Há 7 anos, no dia 15 de agosto de 2007, deu-se início à construção. Hoje, o templo está pronto; faltam apenas algumas finalizações na parte inferior com as salas de catequese e os salões de encontro. Agora caberá à comunidade continuar os passos para sempre construir a Igreja Viva.

Contribui significativamente para a construção todos os religiosos que, nestes 7 anos, passaram pela Comunidade de Ananindeua. Tem seminarista que é capaz de identificar a coluna da igreja que, no calor do Pará, suou para encher de concreto. Todos participaram, desde o dizimista mais simples, até o arquiteto e o engenheiro que doaram seus serviços, passando pelos padres e religiosos. A Comunidade Orionita foi totalmente empenhada neste projeto, com recursos e doação de vida. Agora novas prioridades darão uma nova orientação para o futuro. E a visita canônica que está sendo realizada exatamente nos dias da inauguração da igreja servirá para isso.

 

Em mais de 40 anos de atividades sob a coordenação dos Orionitas, foram vários religiosos que passaram pela Comunidade. Eis o elenco dos Párocos: Pe. Hélio Frison (1972-1990); Pe. Mário Scalco (1990-1992), Pe. Geraldo Ladislau (1993-1994), Pe. José Vicente (1995-1996); Pe. Vanildo (2000); Pe. Ridz Antunes (2001); Pe. José Maria da Cunha (2002-2004); e, desde 2005, Pe. Vicente Lotte Cabral.

Com o desejo de despertar vocações para a Congregação, foi criado em 1998, o Seminário menor Dom Orione, cujo primeiro Reitor foi o Pe. José Maria da Cunha.

O Pe. Miguel Duarte Gois é o primeiro Padre Orionita paraense, fruto da atividade missionária e vocacional da Paróquia.

A nossa Comunidade atual em Ananindeua é composta pelo Pe. Vicente Lotte, Pe. Hélio Frison, Pe. Francisco Camara e Cl. Aroldo.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This