Faleceu Concetta Giallongo, um rosto feminino do carisma orionita

Faleceu Concetta Giallongo, um rosto feminino do carisma orionita

Concetta faleceu às 10h30 desta terça-feira, 19 de junho, no Centro “Mater Dei” de Tortona (Itália). Foi, por muitos anos, Responsável Geral do Instituto Secular Orionita, e por este encargo visitou muitas vezes o Brasil. Promoveu iniciativas de consolidação do Instituto Secular no Brasil através da sua ação pessoal especialmente em Ananindeua (Pará), Itapipoca (Ceará) e nos estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro. Em Caucaia, em nosso Cotolengo, organizou um grupo de benfeitores, na maioria ligados ao ISO, para construir a Capela do Cotolengo.

 

Publicamos um escrito de Pe. Flavio Peloso como recordação da nossa querida Concetta;

Concetta nasceu em Modica (Ragusa – Itália), em 10 de dezembro de 1925, numa família que a fez crescer na fé e na vida saudável. Desde adolescente ofereceu a sua vida ao Senhor. Conheceu a Congregação em Turim e em Milão, onde era professora, e se consagrou no Instituto Secular Orionita em 1973.

Foi mulher de grande religiosidade e de muita vida de oração, ativa, discreta, sensível e atenta às necessidades das pessoas. A sua dedicação espiritual e o sentimento de pertença à Família Orionita foram “seu cálice e sua herança”.

Eu fiz contato com ela, pela primeira vez, recordo, através de um telefonema em 1990. Pe. Giuseppe Masiero tinha me encarregado de acompanhar espiritualmente no caminho do Instituto Secular. Chamou-me a atenção a sua alegria por aquele telefonema e as suas palavras de consagrada a Deus e desejosa de fazer o bem. “Queria fazer muito mais pelo Instituto, mas neste momento a Vontade de Deus me quer próxima do meu irmão doente”.

Foi sempre fiel à vida do Instituto Secular, positiva nos relacionamentos, entusiasta da vocação orionita secular, sempre enriquecedora com a sua palavra, seja nos colóquios pessoais e seja no caminho comunitário. Mantinha vivo os contatos pessoais com as outras irmãs do Instituto, para ele encaminhou várias vocações, contribui com as suas economias para as necessidades econômicas. Foi convicta promotora da vocação laical e secular e do caminho que levou ao reconhecimento canônico do Instituto Secular Orionita, no dia 13 de maio de 1997. Esteve entre as primeiras a fazer a Profissão perpétua segundo a nova Regra de Vida, no dia 6 de agosto de 1997.

Na primeira Assembleia geral do “novo” ISO, em outubro de 1997, foi eleita Responsável geral. Em tal cargo foi reconfirmada para um segundo sexênio que terminou em 2009. Para o Instituto doou-se totalmente, sem se poupar. Fez repetidas e longas viagens na América Latina e na Polônia para manter o relacionamento e animar o caminho comum do Instituto.

Desde 1998, quando fui nomeado Postulador e Secretário da Congregação, se ofereceu para dar uma ajuda na secretaria, já que não tinha mais compromissos familiares. Alternava semanas na Cúria de Via Etruria 6 com outras transcorridas em Turim e nas atividades pelo Instituto Secular.

Tinha boa capacidade intelectual, fineza de alma, boa cultura humanística e religiosa; além do trabalho típico de secretaria pode também fazer estudos sobre temas espirituais e históricos a respeito de Dom Orione e da Congregação, alguns dos quais foram publicados.

Em 2009, terminou o encargo de Responsável geral do ISO. Concetta, diminuta de estatura e cada vez mais frágil pela idade avançada, considerava uma graça e uma satisfação poder dedicar-se ainda à Família orionita, que era tudo o que tinha de mais precioso e de mais bonito.

Nos últimos dois anos, deixou o seu pequeno apartamento da Rua Corso Orbassano 300, em Turim, e encontrou amável acolhida na Casa Mãe das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, em Tortona. Era muito contente por estar em Tortona, próxima de Dom Orione do Santuário de Nossa Senhora da Guarda. Mantinha os contatos com muitas pessoas, por telefone, e-mail, internet. Jamais renunciou à convivência, tinha sempre interesses, ideias e projetos.

No último ano, a doença se fez prepotentemente presente na forma de tumor. Mas falava disso com tranquilidade e mantinha no silencio os seus sofrimentos que enfrentou com fortaleza de alma. Quando soube que estava para chegar a sua Hora, dispôs-se para o encontro com a irmã morte e com o Pai nosso que está nos céus. Foi então transferida para o Centro “Mater Dei”. Permaneceu eficiente e comunicativa até o dia 13 de junho, quando teve uma notável e abrupta queda de forças.

Tive a possibilidade de visita-la no Centro Mater Dei na tarde de terça feita, 18 de junho, ainda em tempo para dizer-lhe alguma palavra boa, a confissão, a unção dos enfermos, algumas horas sustentando a sua mão. No dia 19 de junho, às 10h30, o seu tênue respiro parou definitivamente.

Deo gratias!

Pe. Flávio Peloso

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Share This