Concluiu-se o XIV Capítulo Geral da Congregação Orionita

Concluiu-se o XIV Capítulo Geral da Congregação Orionita

 

Conclusão do XIV Capítulo Geral

 

Com a celebração da Santa Missa na Capela do “Paterno” em Tortona, presidida pelo novo Superior Geral, Pe. Tarcísio Vieira, concluiu-se o 14º Capítulo Geral dos Filhos da Divina Providência, o ramo masculino da Pequena Obra da Divina Providência. Neste sentido, a Congregação retoma o seu caminho ordinário com as indicações para o sexênio 2016-2022.

A declaração oficial do encerramento do Capítulo Geral ocorreu na noite anterior, na histórica sala do 1º Capítulo Geral na Vila Lomellini, em Monte Belo (Pavia), após os Padres Capitulares assinarem as Atas. Esteve presente o Bispo de Tortona, Dom Vittorio Viola, que participou do jantar, juntamente com o Pe. Mario Balladore, Chanceler do Bispado, e Pe. Lucian Faravelli, pároco de Monte Belo.

No domingo, 05 de junho, os Capitulares foram para Tortona para o encerramento da parte litúrgica do Capítulo.  Juntos passaram pela Porta Santa da Misericórdia na Catedral de Tortona e realizaram uma pequena peregrinação com quatro paradas de meditação e oração. A primeira no altar de Nossa Senhora do Bom Conselho, onde Don Orione se consagrou e consagrou os primeiros jovens do Oratório (Maria); a segunda, no altar do Santíssimo, diante do qual o Fundador adorou e rezou (Jesus); a Terceira, diante da urna de São Marciano, fundador e primeiro bispo e mártir da Diocese de Tortona, sinal da tradição apostólica da Igreja (Papa); enfim, a quarta estação foi no quarto de Don Orione na Catedral, onde se reuniam os primeiros jovens, primeira semente de sua atividade apostólica (Almas). Houve tempo para visitar a capela da ordenação sacerdotal de Don Orione e as salas do epíscopo, onde, em diálogo com o Bispo Dom Bandi, o carisma de Don Orione foi reconhecido e aprovado.

Em seguida, a Santa Missa no Paterno, a casa onde o Fundador formou a sua família religiosa, transmitindo o seu espírito. A missa foi presidida pelo Pe. Tarcísio Vieira, 8º sucessor de Don Orione, acompanhado do novo Conselho Geral e de todos os Padres Capitulares.

O Evangelho do Domingo falava da viúva de Naim e de Jesus que a restituiu vivo o filho que estava levando à sepultura. Muitas indicações para a vida foram frisadas pelo Pe. Tarcísio. Antes de tudo, refez o convite de caminhar com Jesus; “quem caminha com Jesus pelas estradas do mundo encontra dramas e misérias da humanidade de hoje que necessita do ‘pão do corpo e do divino bálsamo da fé’”. E nós, com Don Orione, queremos permanecer com Jesus, escondidos em seu coração, e ir pelas estradas e pelas praças com o fogo da caridade. “Fomos chamados e consagrados – nos diz o Papa – para permanecer com Jesus e para servi-lo nos pobres e nos excluídos da sociedade”. “Vamos em direção ao povo”, nos diria Don Orione”.

“Jesus olhou para a mulher e disse: Não chore! Palavras de solidariedade humana que revelam a impotência humana diante da dor inexplicável. Palavras simples que querem dizer: não chore porque ‘eu estou contigo, te acompanho, não te deixarei sozinha’”. Depois tocou o caixão. É o exercício da caridade. São os gestos do Mestre e serão estes os gestos do discípulo. E acontece – e sempre acontecerá – uma transformação porque a caridade salva o mundo. “O caos será vencido pela caridade”.

Por fim, Pe. Tarcísio observou: “Também nós, que vivemos a conclusão do Capítulo, o Senhor repete: “Levanta-te”! Levanta você, servo de Cristo e dos pobres. Levante-te! “Somente a Caridade poderá ainda conduzir a Deus, aos corações e à população, e salvá-la”. Levanta-te! Jesus vem ao teu encontro e, como o jovem de Naim, voltarás a falar (Lc 7,14) e a tua voz poderá “cantar incessantemente” (Sl 30).

DFP

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This