Brasil Norte: Faculdade Católica o I Encontro Subjetividades e História Regional: “pautas para a psicologia do cerrado e Amazônia legal”

Brasil Norte: Faculdade Católica o I Encontro Subjetividades e História Regional: “pautas para a psicologia do cerrado e Amazônia legal”

A Faculdade Católica Dom Orione da Cidade de Araguaína (TO) realizou o I Encontro Subjetividades e História Regional, fruto da parceria entre o curso de psicologia da Faculdade Católica Dom Orione/FACDO, entidades e movimentos sociais como a Comissão Pastoral da Terra/CPT, a Associação Brasileira de Psicologia Social/ABRAPSO, o Conselho Regional de Psicologia do Tocantins/CRP23 e o Programa de Pós-Graduação em Cultura e Territórios da Universidade Federal do Tocantins/PPGCult UFT. A proposta do encontro foi de iniciar debates e sistematizações acerca da identidade da psicologia em nossa região a partir das demandas sociais do povo tocantinense, por sua vez atravessadas pelas concepções tradicionais de cuidado e bem viver que constituem os sujeitos e sujeitas nos diferentes territórios. Essa escuta forma um aspecto fundamental para o aprendizado comunitário da psicologia, mas também do próprio carisma de Dom Orione, voltado para um espírito crítico, guiado pela preocupação com os mais pobres.

Com base nesse horizonte, a metodologia do evento foi pensada para garantir a participação ativa do público na construção dessa nova psicologia, contando com debates, mas também com grupos de trabalho e feira agroecológica. Para o estudante do 5º período noturno de psicologia, Kaio Samuel Andrade Cabral: “o evento trouxe uma gama de informações e questionamentos enriquecedores a todas e todos que participaram, uma visão para as necessidades da atuação em relação ao fazer psicológico, e para as demandas do cerrado buscando observar e compreender as esferas do sofrimento psíquico em relação a regionalidade para uma melhor atuação e evolução tanto individual como social”.

A conselheira Mariana Miranda Borges (CRP23/784), docente na instituição, considera que “O apoio do CRP23 ao evento foi importante por três fatores, que validam o planejamento estratégico desta plenária: descentralização das atividades do regional, orientar a categoria a respeito do atendimento aos povos tradicionais e articular o acesso aos serviços da Psicologia. Então, foi uma oportunidade de profissionais, estudantes de Psicologia e sociedade compreender que a nossa ciência pode ser uma prática eficiente na garantia de direitos e efetivação de políticas públicas aos povos que constroem este território”.

O lançamento da Referência Técnica para Atuação da Psicologia com Povos Tradicionais foi fruto da parceria com o CRP23. Durante a ocasião, um dos autores da publicação, Bruno Simões Gonçalves (CRP 06/109975), trouxe importantes contribuições para o debate. Segundo ele, “me chamou muita atenção a intervenção do público, a qualidade da intervenção do público, a participação de diferentes movimentos sociais, e acho que num território como o de Tocantins e de Araguaína a nossa atuação com essas populações é uma das principais possibilidades de trabalho e de intervenção da psicologia. Então entendo que é um evento muito bem-vindo e que deve desdobrar com bons frutos; vale a pena a gente continuar apostando na divulgação e na intensificação do trabalho do CRP e da psicologia de modo geral, com essas populações no território de Araguaína”. Vale dizer, a próxima edição do encontro já tem um indicativo de realização na Universidade Federal do Tocantins ainda neste semestre.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Faculdade Católica.

Sem comentários

Gostou do artigo? Faça um comentário!

Share This