ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO – 9 DE OUTUBRO

ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO – 9 DE OUTUBRO

9 de outubro de 2019

ASSEMBLÉIA GERAL DE AVALIAÇÃO DA PEQUENA OBRA DA DIVINA PROVIDÊNCIA

Pe. Oreste Ferrari:  “Festejamos os 50 anos na África e celebramos o mês missionário extraordinário”.

A Assembleia Geral de Verificação da Obra D. Orione, acontecerá de 12 a 20 de outubro de 2019, em Bonoua, na Costa do Marfim.  São 46 os delegados de todo o mundo representando toda a Família Carismática Orionita: Filhos da Divina Providência, Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade, Movimento Laical Orionita e Instituto Secular Orionita.

“As normas da Nossa Congregação – explica o Pe. Oreste Ferrari, vigário geral da Obra D. Orione – nos pedem de celebrar tal encontro na metade do percurso dos 6 anos de governo que vão de um Capítulo Geral a outro (2016-2022). Enquanto os Capítulos Gerais são sempre celebrados na Itália, para as Assembleias não há uma localidade estabelecida e cada vez se escolhe uma diferente para dar oportunidade a quem participa de conhecer o que está sendo feito em outros países. No passado, as Assembleias aconteciam na Polônia, Chile, Espanha e Brasil. Neste ano foi escolhido de encontrarmo-nos em Bonoua, na Costa do Marfim”.

“Certo – acrescenta o Pe. Ferrari – Viajar para a África e adaptar-se ao clima, não será fácil, mas a escolha de vir para cá foi feita considerando dois aspectos importantes. Antes de tudo fazem 50 anos que a Congregação decidiu que os tempos estavam maduros para abrir-se a este continente. O primeiro missionário, Pe. Angelo Mugnai desembarcou na Costa do Marfim somente um ano depois, portanto durante a Assembleia faremos a abertura oficial das celebrações jubilares da missão, que depois continuarão por todo o ano seguinte.”

“A segunda razão – prossegue o Pe. Ferrari – foi-nos oferecida pela Papa Francisco que decidiu de celebrar neste ano um mês missionário extraordinário. Fazer uma Assembleia de tal importância propriamente em terras de missões nos ajudará, antes de tudo, a viver na nossa pele a experiência da missão, a dificuldade de adaptação, o contato com a pobreza e com a simplicidade de uma vida que deve se contentar com o essencial e depois tomar as nossas decisões operativas que nos acompanharão nos próximos três anos, com um olhar mais dirigido à concretização do nosso ser Orionita”.

“O Papa – conclui o Pe. Ferrari – nos convida a que toda a ação da Igreja e, portanto, também da nossa Congregação, seja impregnada do espírito missionário. Confrontar-nos com a sabedoria e a fé da gente simples de Bonoua nos ajudará a ser como D. Orione nos quer: “Padres fora das sacristias”.

 

No Comments

Post A Comment

Share This