ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO- 16 DE OUTUBRO – BONOUA: “ESTA ASSEMBLÉIA PODE RENOVAR AS TRADUÇÕES DE CERTEZA ANTIGA EM NOVO VINHO PARA NOVOS OUTROS!”

ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO- 16 DE OUTUBRO – BONOUA: “ESTA ASSEMBLÉIA PODE RENOVAR AS TRADUÇÕES DE CERTEZA ANTIGA EM NOVO VINHO PARA NOVOS OUTROS!”

16 de outubro de 2019

BONOUA: “ESTA ASSEMBLÉIA PODE RENOVAR AS TRADUÇÕES DE CERTEZA ANTIGA EM NOVO VINHO PARA NOVOS OUTROS!”

Pe. Roberto Simionato, Superior Geral da Pequena Obra da Divina Providência, de 1992 a 2004, aos religiosos reunidos na Assembléia: “Sigo tudo passo a passo, uno tanta alegria à minha oração e proximidade espiritual”.

O trabalho dos religiosos reunidos na Assembléia Geral de Avaliação em andamento na Costa do Marfim continua. Esta manhã a Santa Missa foi celebrada em português, presidida pelo Superior da Província “Nossa Senhora de Fátima” (norte do Brasil) Pe. Josumar dos Santos, enquanto a homilia foi pregada por Pe. Antonio Sagrado Bogaz, da Província Nossa Senhora da Anunciação.

O Superior Geral Pe. Tarcisio Vieira compartilhou a mensagem, que relatamos abaixo, enviada pelo Pe. Roberto Simionato, Superior Geral da Pequena Obra da Divina Providência de 1992 a 2004, aos religiosos participantes da Assembléia Geral de Avaliação. Pe. Simionato atualmente reside na Argentina, na Comunidade de Claypole-Cottolengo, como chefe do vigário “NS de Lujan” e capelão de Cottolengo.

«Prezado Pe. Tarcisio e irmãos da Assembléia, sigo através das imagens da rede os passos de nossa Assembléia Geral de Bonoua. Que bela festa: o testemunho dos primeiros missionários, os ritos de boas-vindas, a música, a dança, as cores! Tudo me lembra o que experimentei durante minhas visitas e que agora você está vivendo super multiplicado na alegria de uma família que pode ver os abundantes frutos da semeadura. Contemplo os rostos dos missionários que contaram a história (com alguns éramos companheiros em Tortona), vejo D. Viti, que, a pedido dos irmãos da África, ousei perguntar se ele estava disposto a sair. Lembro-me do generoso “sim” dele. Estou impressionado ao vê-lo ainda lá aos 97 anos. É dar graças a Deus! Para colocar “ao D. Viti”:

“Sigo tudo passo a passo, uno muita alegria à minha oração e proximidade espiritual”.

«Agradeço o envio do Instrumentum Laboris. Lendo as avaliações e as sugestões das Províncias, revivi de alguma forma a memória das diferentes realidades, das urgências e dos problemas atuais, as esperanças de cada nova missão, imagino as dificuldades envolvidas, saboreando a riqueza do progresso relatado e, idealmente, Conheço irmãos e situações que conheço em parte e continuo a crescer com a bênção de Deus.

Tenho certeza de que os participantes apreciarão essa experiência sem precedentes na África que amplia a visão da família orionina. Quero enviar uma saudação especial aos irmãos da Província de Notre Dame d’Afrique, começando com o bispo Raymond e o padre Jean Baptiste, e a todos os irmãos da Assembléia. Por favor, desculpe minha ausência, não tome isso por falta de consideração. Simplesmente, devido às longas horas de viagem e a alguma fragilidade da minha saúde, fui aconselhado a ficar satisfeito, desta vez, com uma participação remota. Como você pode ver, eu não sou tão corajoso quanto Don Viti! Não sentirei falta da minha oração, da minha atenção às notícias diárias. Continuarei a apreciar as fotos das celebrações africanas clássicas, o estilo tradicional que me fez lembrar que uma vez recebi o “pagne” e os símbolos do conselheiro do rei (acho que esse era o significado, se Don Mugnai o explicasse bem) . 

“Que esta Assembléia seja um banho alegre para todos, um complemento de esperança que nos dará o impulso necessário para enfrentar novos problemas com novos métodos, ou seja, renovar as velhas certezas traduzidas em vinho novo para odres novos!”

Um abraço do coração de Dom Orione, diante de quem celebramos a Eucaristia todos os dias.

Salve Maria e avante! ”

 

Sem comentários

Gostou do artigo? Faça um comentário!

Share This