ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO – 14 DE OUTUBRO – TRABALHOS INICIADOS

ASSEMBLEIA GERAL DE AVALIAÇÃO – 14 DE OUTUBRO – TRABALHOS INICIADOS

14 de outubro de 2019

Nesta manhã foram iniciados os trabalhos da Assembleia geral de verificação que se realiza em Bonoua até o dia 20 de outubro de 2019.

 O dia começou no santuário “Notre Dame da Guarda” com a Missa em língua espanhola, presidida pelo Superior da Província Argentina Pe. Gustavo Aime e a homilia pregada pelo Pe. Eldo Musso.

No final da celebração os Delegados se transferiram para a sala de conferências onde, depois das orações e louvores guiados pela Província do Chile, foram abertos os trabalhos por parte do Conselho Geral que expôs o seu relatório.

“Demos início a esta Assembleia Geral – afirmou o Pe. Tarcísio Vieira Superior Geral – implorando a proteção da Santíssima Trindade, confiando na intercessão materna de Nossa Senhora – que aqui em Bonoua veneramos com o título de “Notre Dame da Guarda” –  e confiantes no apoio do nosso Pai Fundador, São Luís Orione. As celebrações litúrgicas destes primeiros dias – a de “acolhida” do sábado de manhã, aquela solene da abertura oficial com o povo na Paróquia de “San Pierre Claver”, mas também a celebração deste primeiro dia de trabalho – nos colocaram em um elevado clima de espiritualidade e de comunhão fraterna, apresentando-nos “a Palavra de Deus” como luz para o nosso caminho, “as palavras” do Capítulo Geral como itinerário de renovação e de conversão da Congregação e do povo, “o povo Santo de Deus”, como destinatários privilegiados do nosso trabalho carismático orionita”.

“É claro que esta Assembleia – prosseguiu o Pe. Tarcísio – tem a sua inspiração e a sua razão de ser no XIV Capítulo Geral com o tema “Servos de Cristo e dos  pobres – A pessoa do Religioso Orionita – Fidelidade e profecia em diálogo com as periferias da pobreza e da nova evangelização

“Somos 40 religiosos – precisou o Superior Geral – com um mandato representativo (21 foram eleitos), constituídos como uma “parte” que representa legitimamente “todos” os religiosos da Congregação. Este mandato nos autoriza a exprimirmo-nos não somente em nosso próprio nome, mas, sobretudo em nome de quem nos deu esta delegação, em nome de todos os confrades da Congregação”.

O Pe. Tarcísio então recordou que o evento Assemblear em Bonoua abrirá um período de festas e de celebrações pelos 50 anos da presença orionita na África (2021), agradecendo em nome de todo o Conselho, os confrades da Província “Notre Dame da África”, a começar pelo Diretor Provincial Pe. Jean-Baptiste Dzankani, e pelo Presidente do Comitê de preparação, Pe. Serge Meda, pelo grande empenho dos últimos meses na preparação da acolhida deste importante evento. Um agradecimento especial foi dirigido também ao Pe. Basile Aka, que “acreditou na realização da Assembleia e a tornou possível em seus estágios iniciais”.

Assinalou-se, além disso, como para a Província “Notre Dame da África”, a Assembleia seja a realização de um sonho, mas também a coroação de um ciclo missionário, iniciado com o Pe. Angelo Mugnai, e continuado com a oferta de vida de tantos religiosos que mudaram a sua nacionalidade para assumirem a vida e a cultura africana.

“Ora – afirmou o Pe. Tarcísio – tal ciclo pode ser considerado concluído com a maturidade e a consolidação da Província como “realidade missionária”. Agora seus religiosos são missionários no mundo orionita. E tudo isto vem selado pela implementação da Assembleia”.

“Para nós – apontou -, a Assembleia será o lugar para “mudar” e “discernir”, será o lugar do discernimento e de julgamento crítico das decisões e das escolhas da Congregação. O nosso esforço destes dias se tornará benefício para toda a Congregação e para a Igreja. Então faremos festa para que seja sempre verdadeira a afirmativa que “onde estão os religiosos há alegria” (Papa Francisco)

“Tenho vontade de dizer – concluiu o Superior Geral – que temos realmente necessidade de viver intensamente esta Assembleia; aqui em território de missões; para que, sejam os dinamismos de verificação e de relançamento, mas também o contexto histórico da primeira missão africana que nos possa ajudar a discernir para saber andar além e a perguntar-nos se as nossas obras, as nossas presenças, os nossos ministérios, correspondem ou não a aquilo que o Espírito Santo pediu a São Luís Orione. Estou certo que a experiência missionária que estamos vivendo aqui em Costa do Marfim, no Mês Missionário Extraordinário, nos dá as motivações para discernir, verificar e decidir, com vistas a relançar as instituições e as orientações do XIV Capítulo Geral.”

“Para finalizar, nos possa servir de encorajamento e motivação a história final do Diário do Pe. Angelo Mugnai: “Eu estava caminhando ao longo da estrada de Abidjan que leva ao Promotor da Missões, quando ouço me chamar: Meu Pai! Meu Pai!. Confuso, apresso o passo, mas aquela voz continua a insistir Meu Pai! Meu Pai Angelo! Então eu devo parar e me virar. Trata-se de um homem, de sua mulher e de vários filhos. Foi você que me batizou! Diz o homem se dirigindo a mim Foi você que abriu as portas do Céu a mim e à minha família! Se abri as portas do Céu

quer dizer que salvei uma alma e esta é a finalidade da vinda de Cristo à terra, e esta é a finalidade do meu sacerdócio, esta é a finalidade da minha vida de missionário. Você salvou uma alma; garantiu a tua!”

 À tarde prosseguiram os trabalhos com a apresentação dos Provinciais, Vice Provinciais e com os trabalhos em grupos.

Amanhã, pela manhã, A Assembleia hospedará, na qualidade de convidadas, as Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade com a Irmã M. Mabel Spagnuolo, Superiora Geral e com a irmã M. Jacqueline Sawadogo, Coordenadora da presença orionita na África ocidental, as consagradas do Instituto Secular Orionita, Marie Jeanne Kouakou e Lucie Kofi e a nova Coordenadora Geral do Movimento Laical Orionita, recentemente eleita, a Senhora Armanda Sano.

 

Sem comentários

Gostou do artigo? Faça um comentário!

Share This