A experiência da misericórdia de Deus nos da aquela paz profunda, diz Papa

A experiência da misericórdia de Deus nos da aquela paz profunda, diz Papa

 

Regina Coeli
Praça São Pedro
Domingo, 7 de abril de 2013

Boletim da Santa Sé
 

Queridos irmãos e irmãs! Bom dia!

Neste domingo que conclui a Oitava de Páscoa, renovo a todos o voto pascal com as palavras do próprio Jesus Ressuscitado: “Paz a vocês” (Gv 20,19.21.26). Não é uma saudação nem mesmo um simples augúrio: é um dom, ou melhor, o dom precioso que Cristo oferece aos seus discípulos depois de ter passado através da morte. Doa a paz, como havia prometido: “Deixo-vos a paz, eu vos dou a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá, eu a dou a vós” (Gv 14,27). Esta paz é o fruto da vitória do amor de Deus sobre o mal, é o fruto do perdão. E é justamente assim: a verdadeira paz, aquela profunda, vem do fazer a experiência da misericórdia de Deus. Hoje é o Domingo da Divina Misericórdia, por vontade do Beato João Paulo II, que fechou os olhos a este mundo justamente na véspera desta festa.

O Evangelho de João nos refere que Jesus aparece duas vezes aos Apóstolos fechados no Cenáculo: a primeira, na mesma noite da Ressurreição, e naquela vez não estava presente Tomé, o qual disse: se eu não vejo e não toco, não creio. A segunda vez, oito dias depois, estava também Tomé. E Jesus se dirigiu a ele, convidou-o a olhar as feridas, a tocá-las; e Tomé exclamou: “Meu Senhor e meu Deus!” (Gv 20,28). Jesus então disse: “Porque me viu, tu crestes; bem aventurados aqueles que não viram e creram!” (v. 29). E quem eram estes que acreditaram sem ver? Outros discípulos, outros homens e mulheres de Jerusalém que, mesmo não tendo encontrado Jesus ressuscitado, acreditaram no testemunho dos Apóstolos e das mulheres. Esta é uma palavra muito importante sobre a fé, podemos chamá-la a beatitude da fé. Bem aventurados aqueles que não viram e acreditaram: esta é a beatitude da fé! Em todo tempo e em todo lugar são bem aventurados aqueles que, através da Palavra de Deus, proclamada na Igreja e testemunhada pelos cristãos, creem que Jesus Cristo é o amor de Deus encarnado, a Misericórdia encarnada. E isto vale para cada um de nós!

Aos Apóstolos Jesus doou, junto com a sua paz, o Espírito Santo, para que pudessem difundir no mundo o perdão dos pecados, aquele perdão que somente Deus pode dar, e que custou o Sangue do Filho (cfr Gv 20,21-23). A Igreja é enviada por Cristo ressuscitado para transmitir aos homens a remissão dos pecados, e assim fazer crescer o Reino do amor, semear a paz nos corações, para que se afirme também nos relacionamentos, na sociedade, nas instituições. E o Espírito de Cristo ressuscitado lança para fora o medo nos corações dos Apóstolos e os impele a sair do Cenáculo para levar o Evangelho. Tenhamos também nós mais coragem de testemunhar a fé em Cristo Ressuscitado! Não devemos ter medo de ser cristãos e de viver como cristãos! Nós devemos ter essa coragem, de ir e anunciar Cristo Ressuscitado, porque Ele é a nossa paz, Ele fez a paz, com o seu amor, com o seu perdão, com o seu sangue, com a sua misericórdia.

Queridos amigos, hoje à tarde celebrarei a Eucaristia na Basílica de São João de Latrão, que é a Catedral do Bispo de Roma. Rezemos juntos à Virgem Maria, para que nos ajude, Bispo e Povo, a caminhar na fé e na caridade, confiantes sempre na misericórdia do Senhor: Ele sempre nos espera, nos ama, nos perdoou com o seu sangue e nos perdoa todas as vezes que vamos a Ele e pedimos o perdão. Tenhamos confiança na sua misericórdia!

Tradução: Jéssica Marçal

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This