A cura pelo amor

A cura pelo amor

A CURA PELO AMOR

Todos os textos que lemos nos evangelhos de Jesus Cristo narrados por apóstolos, percebemos sempre os gestos de acolhida de Jesus para com os enfermos, sofredores, pecadores, excluídos e etc…são sempre gestos que cura o ser humano pelo amor.

O Evangelho de Mc 6,53-56 é um resumo da atividade curativa de Jesus em Genesaré e nas suas redondezas. Logo que desembarcaram, as pessoas reconheceram Jesus e procuravam, “leva os doentes deitados em suas camas para o lugar onde ouviam falar que Jesus estava. E, nos povoados, cidades e campos onde chegavam, colocavam os doentes nas praças e pediam-lhe para tocar, ao menos, a barra da sua veste. E todos quantos o tocavam ficavam curados”. 

Junto com a cura física, Jesus costumava dizer também: “Os teus pecados estão perdoados”. Mais que doenças, Jesus curava doentes. A saúde espiritual influi na física, Por isso, Jesus curava as duas. Morrer sabemos que todo mundo vai; mas que isso aconteça na paz, uma paz integrada e envolvente da pessoa toda. Há muitos e muitas que morrem sorrindo, e assim ficam durante todo o velório, até a sepultura! A graça de Deus é mais forte que o corpo, que o espírito, que tudo; nada a derruba.

 Apesar dos avanços da medicina hoje, quando uma doença calamitosa chega a ser vencida, já surgiram outras novas e desconhecidas que desafiam os médicos pesquisadores e cientistas. A saúde e a vida continuam e continuarão a ser sempre um dom de Deus.

 A sublime missão da pastoral da saúde que exercemos no Hospital Dom Orione assume um compromisso comunitário, evangelizador e adequado às necessidades de cada realidade em que vivemos em especial aqui no norte do Tocantins. Ela procura estabelecer o equilíbrio adequado entre a saúde de cada paciente e o seu íntimo, principalmente com o seu espírito e condição de vida. A Pastoral da Saúde é exercida em âmbito hospitalar, domiciliar e comunitário.

Quantas vezes, após uma breve visita do sacerdote e do agente da pastoral da saúde, o doente muda completamente de fisionomia. O mistério da vida, da doença e da graça de Deus que está acima de tudo, leva o enfermo se sentir bem com a presença de Deus nas pessoas que visita e leva os sacramentos a elas.

Nos vários escritos dos apóstolos nos evangelhos vemos que várias vezes, Jesus relacionou a cura de doenças com a vinda do Reino de Deus. As curas eram equiparadas ao anúncio do Evangelho. “Jesus convocou os Doze e deu-lhes poder e autoridade sobre todos os doentes e para curar doenças. Ele os enviou para anunciar o Reino de Deus e curar os enfermos” (Lc 9,1-2).

Por isso, vamos nós também procurar tocar em Jesus, recebendo a Eucaristia, participando da nossa comunidade, ou aproximando-nos daqueles com os quais Jesus se identificou: os que têm fome, os doentes… (Mt 25,31ss). Tocar em Jesus para nós é acreditar na sua presença continuada no mundo em que vivemos. Pois, a fé é um encontro pessoal com Deus, do qual Jesus é o sacramento visível da Graça para todos nós. E todo quanto Jesus tocava ficavam curados de suas enfermidades e aliviados em seu espírito, pois, sentiam uma sensação sublime da ação amorosa de Deus em sua vida.

O amor de Deus nos cura de toda enfermidade, de toda ferida, mágoa, marca do passado, do mundo. O amor de Deus nos cura de todas feridas do corpo e da alma, de todo desprezo, de todo abandono, de tudo aquilo de ruim que acontece conosco.

Na mensagem do Papa Francisco aos enfermos neste ano de 2014, ele diz: dirijo-me de modo particular às pessoas doentes e os quantos lhes prestam assistência e cura. A Igreja reconhece em vós, queridos doentes, uma presença especial de Cristo sofredor. É assim: ao lado, aliás, dentro do nosso sofrimento está o de Jesus, que carrega conosco o seu peso e revela o seu sentido. Quando o Filho de Deus subiu à cruz destruiu a solidão do sofrimento e iluminou a sua escuridão. Desta forma somos postos diante do mistério do amor de Deus por nós, que nos infunde esperança e coragem: esperança, porque no desígnio de amor de Deus também a noite do sofrimento se abre à luz pascal; e coragem, para enfrentar qualquer adversidade em sua companhia, unidos a Ele.

Como o Pai doou o Filho por amor, e o Filho se doou a si mesmo pelo mesmo amor, também nós podemos amar os outros como Deus nos amou, dando a vida pelos irmãos. A fé no Deus bom torna-se bondade, a fé em Cristo Crucificado torna-se força para amar até ao fim também os inimigos. A prova da fé autêntica em Cristo é o dom de si, o difundir-se do amor ao próximo, sobretudo por quem não o merece, por quantos sofrem, por quem é marginalizado.

Quando nos aproximamos com ternura daqueles que precisam de cura, levamos a esperança e o sorriso de Deus às contradições do mundo. Quando a dedicação generosa aos demais se torna estilo das nossas ações, damos lugar ao Coração de Cristo e por Ele somos aquecidos, oferecendo assim a nossa contribuição para o advento do Reino de Deus.

O Papa Francisco diz ainda que Maria é a Mãe de todos os doentes e sofredores. A ela podemos recorrer confiantes com devoção filial, certos de que nos assistirá e não nos abandonará. É a Mãe do Crucificado Ressuscitado: permanece ao lado das nossas cruzes e acompanha-nos no caminho rumo à ressurreição e à vida plena.

 

São João, o discípulo que estava com Maria aos pés da Cruz, faz-nos ir às nascentes da fé e da caridade, ao coração de Deus que «é amor» (1 Jo 4, 8.16), e recorda-nos que não podemos amar a Deus se não amarmos os irmãos. Quem está aos pés da Cruz com Maria, aprende a amar como Jesus. A Cruz é a certeza do amor fiel de Deus por nós. Um amor tão grande que entra no nosso pecado e o perdoa, entra no nosso sofrimento e nos confere a força para o carregar, entra também na morte para a vencer e nos salvar…enfim, nos leva a perfeita cura pela amor de Deus por nós.

Finalizo com esta frase que eu gosto de dizer aos enfermos no Hospital Dom Orione. “Continuem lutando com todas as tuas forças, porque vale apena viver. A gente consegue vencer seja o que for, porque Deus esta conosco e Ele nos ama e nos quer bem”. 

 

Oração para Cura Física

Senhor Jesus, creio que estás vivo e ressuscitado. Creio que sempre falas comigo pela Palavra; creio que estás presente realmente no sacramento do altar para me alimentar; creio que respondes as orações de todos os que te buscam de coração.

Eu te louvo e adoro. Te rendo graças, Senhor, por teres vindo por amor de mim, como Pão vivo descido do céu. Tu és a plenitude da vida, em ti ninguém é esquecido, de ti vem o perdão, a paz e a saúde.

Visita-me com o teu auxílio, e renova-me com o teu poder. Tem compaixão de mim e abençoa-me em todas as minhas necessidades.

Cura-me, Senhor Jesus.

Cura-me em meu espírito, dando-me vitória diante do pecado.

Cura-me em minhas emoções, fechando as feridas das minhas mágoas, frustrações, rancores ou ódios…

Cura-me em meu corpo, devolvendo-me a saúde física.

Hoje, Senhor, te apresento com total confiança a(s) minha (s) doença(s):… (diga o nome da sua(s) doença(s)) e te peço cura-me completamente, como curaste os doentes que te procuravam quando estiveste aqui na terra.

Eu creio como promete a Palavra: “Carregou os nossos pecados em seu corpo sobre o madeiro, para que, mortos aos nossos pecados, vivamos para justiça. Por fim, por suas chagas fomos curados (1Pdr 2,24).”

 

Estou seguro do teu amor por mim, e mesmo antes de ver os resultados da minha oração, eu te digo com fé: Obrigado, Senhor Jesus, pela bênção que já estás derramando em meu favor.

Com minha benção sacerdotal e fraterna, e a promessa de minhas preces, para que Maria e São Luis Orione continuem passando à frente de nossos impossíveis!

PE. FRANCISCO EDEJANIO AZEVEDO MAGALHÃES – ORIONITA.

Pastoral da Saúde do Hospital Dom Orione.

 

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Share This