3º comunicado do XIV CG: Em ouvir os sinais dos tempos

3º comunicado do XIV CG: Em ouvir os sinais dos tempos

14º CG: Em ouvir os sinais dos tempos

O terceiro dia de trabalhos se caracterizou por uma rica proposta de reflexão e estímulos, que visava completar o esforço de leitura da situação atual, a partir da qual, os padres capitulares se apoiarão para fazer suas escolhas, formular suas linhas de ações e decisões.

Então, depois das leituras dos relatórios do Diretor e do Ecônomo, hoje o espaço foi reservado para as intervenções do teólogo Padre Amedeo Cencini (experto no campo da formação e da integração humano-espiritual) e de Dom José Carballo (Secretário da Congregação para a Vida Consagrada).

Padre Amedeo Cencini insistiu sobre a necessidade de se desenvolver uma cultura de formação contínua,que é muito diferente de participar, às vezes de bom gosto, a esporádicos encontros de formação permanente, e sim, ter uma disponibilidade inteligente e cotidiana para deixar-se modela, que será um bem para própria a pessoa. Formação permanente significa empenhar a vida como resposta responsável a um chamado significativo.

Dom Carballo, falando sobre a Vida Consagrada entre urgência e expectativa, sublinhou que este é um momento de crise, que a vida consagrada vive a estação de inverno. No entanto, ele disse que nesse tempo não devemos dar importância aos profetas da desventura e sim aos verdadeiros profetas. A vida consagrada não precisa de números, mas de homens e mulheres apaixonados pela causa de Cristo, que felizmente existem tantos bons exemplos entre nós. Disse que é durante o inverno que a natureza age em profundidade, preparando para a estação dos frutos.  Ele recordou aos capitulares que o Capítulo é tempo de inverno, no qual devemos ser capazes de tomar as melhores decisões. Qual é o apelo que o tempo de crise nos faz? Pede mudanças. Muitas coisas devem mudar, muitas estruturas devem ser renovadas. Contudo, não tem sentido criar estruturas novas se falta um espírito novo.

Nesta fase, requer-se homens e mulheres com grande capacidade e lucidez. Com grande capacidade de discernimento. Discernimento que deve ter três colunas: o Evangelho, o carisma e os sinais dos tempos. Assim sendo, o nosso carisma será atual e não banalmente moderno. Para ilustrar Padre Cencini contou um provérbio vietnamita: “quem casa com a moda vai ficar viúvo logo”.  E acrescentou que o Papa Francisco é um homem atual, ele não é moderno.

Depois de cada palestra os padres capitulares foram divididos em grupos com o fim de evidenciar três urgências que a Congregação vive hoje e três possíveis linhas de ação.

Na segunda parte do dia, é importante destacar que, a sessão foi enriquecida com a presença dos convidados ao Capítulo, eles participarão dos trabalhos nesses dias. Vieram as representantes das Pequenas Irmãs Missionárias da Caridade – Dom Orione guiadas pela Superiora Geral, Madre Maria Mabel, representantes do MLO, do ISO, da pastoral juvenil e dos leigos que trabalham nas nossas obras.

Sem comentários

Seja o primeiro a comentar este post!

Share This