REFLEXÕES DOMINICAIS – QUARESMA – 5º DOMINGO 2019

PEQUENA OBRA DA DIVINA PROVIDÊNCIA

FAMÍLIA CARISMÁTICA ORIONITA

REFLEXÕES PARA A QUARESMA: É TEMPO DE CONVERSÃO

ORIONITAS AS PÉS DA CRUZ

Um breve subsídio para a reflexão dos integrantes da família carismática orionita, em preparação para a celebração do grande Mistério Pascal dos cristãos. Trata-se de uma proposta de formação e espiritualidade bem simples, para ser feita durante a semana, em preparação para o encontro eucarístico dominical. Cada fascículo terá uma saudação, uma frase bíblica do evangelho dominical, um tema quaresmal e uma proposta de reflexão sobre a Campanha da Fraternidade. Pode ser feita em comunidade, entre amigos ou individualmente. Os textos das reflexões são extraídos do livro: Quaresma: teologia e símbolos (A.S.Bogaz – J.H.Hansen. Revista o Recado. 2015).

Viver a quaresma é uma graça que a Igreja nos oferece, levando-nos a redescobrir as motivações dos primeiros cristãos, que se preparavam com tanto ardor para as festas pascais. Todo tempo é tempo de purificação, todos os dias são dias de renovação; isso é inegável. Nossa Igreja nos apresenta um tempo especial, para reacendermos a chama da fé que se fragiliza nas labutas cotidianas, para refazermos os laços de afetividade que se desmancharam e caminharmos nos passos da caridade, que nos unificam com Deus e com os seus empobrecidos. Na condição humana de pecadores, somos iluminados por Jesus Cristo, para reavermos a condição divina semeada em nossa vida pela filiação batismal. Pelas cinzas, pelas palmas, pela cruz e por tantos gestos, somos adentrados num espírito novo, capaz de restaurar a grandeza de nossos corações. A medição da Igreja, nossa comunidade de fé, escancara nosso coração para acolher, feito sepulcro sagrado, o Cristo crucificado e se tornar o templo que adora o Cristo ressuscitado. Quaresma é graça divina que nos eleva, dia após dia, passando pelo calvário, à manhã da glória da ressurreição.

Pe. Antônio S. Bogaz – Prof. João H. Hansen – Pe. Rodinei C. Thomazella

Da família carismática de São Luís Orione

 

 

5º DOMINGO DA QUARESMA – 07 abril 2019

TEMA: NUNCA JULGAR OS IRMÃOS

 

 

  1. Abre, Senhor, meu coração
  2. E ilumina meu espírito.
  3. Deus Pai, criador de tantas belezas, que nos enviastes vosso Filho, para restaurar a humanidade e o universo, enviai vossa Luz, para acolher vossas graças e transformar minha história de vida.
  4. Amém

A VOZ DO EVANGELHO DE JESUS CRISTO –  Jo 8, 1-11

Dirigiu-se Jesus para o monte das Oliveiras. Ao romper da manhã, voltou ao templo e todo o povo veio a ele. Assentou-se e começou a ensinar. Os escribas e os fariseus trou­xeram-lhe uma mulher que fora apanhada em adultério. Puseram-na no meio da multidão e disseram a Jesus: “Mestre, agora mesmo esta mulher foi apanhada em adultério.  Moisés mandou-nos na Lei que apedrejássemos tais mulheres. Que dizes tu sobre isso?”. Perguntavam-lhe isso, a fim de pô-lo à prova e poderem acusá-lo. Jesus, porém, se inclinou para a frente e escrevia com o dedo na terra. Como eles insistissem, ergueu-se e disse-lhes: “Quem de vós estiver sem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra”. Inclinando-se novamente, escrevia na terra. A essas palavras, sentindo-se acusados pela sua própria consciência, eles se foram retirando um por um, até o último, a começar pelos mais idosos, de sorte que Jesus ficou sozinho, com a mulher diante dele. Então, ele se ergueu e vendo ali apenas a mulher, perguntou-lhe: “Mulher, onde estão os que te acusavam? Ninguém te condenou?”. Res­pondeu ela: “Ninguém, Senhor”. Disse-lhe então Jesus: “Nem eu te condeno. Vai e não tornes a pecar”.

*****

MENSAGEM DE NOSSO SANTO – ORIONITAS AOS PÉS DA CRUZ

Ele, e somente Ele, é a fonte viva de fé e caridade que pode restaurar e renovar o homem e a sociedade: só Cristo poderá formar de todos os povos um coração e uma alma só. Portanto seja este o nosso primeiro e máximo empenho: aniquilarmo-nos, renegarmo-nos e formarmos em Jesus Cristo, e em Cristo crucificado, por mysterium Crucis. Não existe uma outra escola para nós, nem outro Mestre, nem outra cátedra que não seja a Cruz.

*****

PARA APROFUNDAR NOSSA FÉ – JEJUM DA SOLIDARIEDADE

Com a acolhida do cristianismo no Império Romano e sua oficialização no século IV, os padres da Igreja, bispos e comunidades têm mais recursos para organizar as etapas preparatórias para a Páscoa. Toda preparação é espontânea, seguindo objetivos bem definidos de preparar os fiéis nos mistérios da fé. Temos visto como o processo de elaboração da preparação à Páscoa vai recebendo novos elementos rituais e simbólicos, ao mesmo tempo que abrangem novos períodos semanais. Contando seis semanas, com o domingo, aqueles que tinham cometido faltas graves eram acolhidos num grupo particular de “penitentes” e fazendo todos os rituais de jejum e oração, sendo avaliados em escrutínios tornavam-se aptos novamente para a inclusão no seio da família dos batizados. Reconhecemos neste modelo o título de Quadragésima, determinando os quarenta dias, recuperando as tradições antigas dos rituais de purificação do antigo judaísmo.

Perseguindo as leituras bíblicas destas celebrações, percebemos a valorização as “quaresmas judaicas”, como os dias de Moisés na montanha (Ex 24, 12-18); os quarenta dias da purificação do Profeta Elias (1 Rs, 19, 2-8), assim como os dias de Jesus Cristo no deserto (Mt 4, 1-11). Todos os casos citados destacam o jejum, orações e penitências, como meios de conversão.

*****

A UTOPIA DA FRATERNIDADE

Vamos conhecer as propostas humanitárias e cristãs da Campanha da Fraternidade, para unir a dor de Jesus Cristo com os sofrimentos dos irmãos.

COMPROMISSO COM OS IRMÃOS

 “É necessário que os leigos católicos não permaneçam indiferentes à vida pública, nem fechados nos seus templos, nem sequer esperem as diretrizes e as recomendações eclesiais para lutar a favor da justiça e de formas de vida mais humanas para todos”. (Francisco, 2017).  “Ninguém pode exigir de nós que releguemos a religião para a intimidade secreta das pessoas, sem qualquer influência na vida social e nacional. Uma fé autêntica – que nunca é cômoda nem individualista – comporta sempre um desejo de mudar o mundo, transmitir valores, deixar a terra um pouco melhor depois da nossa passagem por ela” (Francisco, EG, n. 183)

*****

ORAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO

Espírito Santo, sabedoria divina concedei-me o dom da piedade. Que minhas orações sejam pontes de amor, que unam meu coração ao coração de Deus Pai e do Cristo Senhor. Que meu fervor espiritual se renove sempre, para que minha alma frutifique na fé e na esperança. Por Cristo, Nosso Senhor.

Rezemos como o Senhor nos ensinou:

Pai Nosso – Ave Maria – Glória ao Pai

  1. Amém
  2. Que a luz divina ilumine nosso caminho e nos envie amigos bons nas intempéries da vida.  A benção de Deus de Amor: Pai. Filho e Espírito Santo
  3. Amém
Share This