ORDENAÇÃO DIACONAL BHZ 2017

No dia 01 de Julho, na Paróquia N Sra da Divina Providência, aconteceu o diaconato dos Clérigos: Fabiano de Oliveira, Renaldo Elesbão de Almeida da Provincia Norte e Adriano Roque da Silva, Carlos Santos da Silva e Rui Pedro Fernandes Nobre Pires, da Provincia Sul.. Presidiu a celebração D. Edson José Oriolo dos Santos, bispo auxiliar da arquidiocese de Belo Horizonte, concelebrando, os Provinciais Sul e Norte, padres Rodinei Thomazella e Josumar dos Santos e demais padres das duas provincias, na presença da comunidade e familiares.
 
Abaixo o agradecimento  na íntegra :  
 

Caros irmãos, como é bom estarmos aqui!

Eis o sentido bíblico-teológico que ilumina a diaconia: “Os Doze convocaram então a multidão dos discípulos e disseram: ‘Não é conveniente que abandonemos a Palavra de Deus para servir às mesas. Procurai, antes, entre vós, irmãos, sete homens de boa reputação, repletos do Espírito e de sabedoria, e nós os encarregaremos dessa tarefa. Quanto a nós, permaneceremos assíduos à oração e ao ministério da Palavra’. A proposta agradou a toda multidão” (Atos 6,2-5).

A imposição das mãos aos diáconos não é “para o sacerdócio, mas para o ministério diaconal […] servem ao povo de Deus na diaconia da liturgia, da palavra e da caridade, em comunhão com o Bispo e seu presbítero” (ROBPeD, 2002, p.14).

Confrades diáconos nós fomos convocados por Deus. Queridos irmãos, vocês são a multidão que se agradou da proposta de Deus a nosso respeito. Obrigado por testemunhar nossa proposta de ser “Servos de Cristo e dos pobres”.

O ministério da diaconia é naturalmente um ministério de serviço. Nesse sentido, como bons orionitas devemos estar atentos ao que diz Cristo na pessoa do papa Francisco. Por isso, a alegria do Evangelho nos impulsiona a ser uma Igreja em saída que “primeireia, que envolve-se, que acompanha, que frutifica e festeja” (EG, n.24).

Queridos irmãos no diaconato, formos procurados por Deus. Deus nos amou por primeiro. Ele nos quis, nos convocou para proclamar a Palavra e servir às mesas. Quantas mesas vazias? Quantos corações sedentos e famintos? Somos responsáveis em colaborar, servir e promover a Caridade. Para nós a Caridade eclesial tem sabor orionino.

Irmãos, não somos sete, somos cinco. Nossa missão também é suscitar vocações generosas, com coração sem fronteiras. Vejamos, Deus procura homens de boa reputação, isto é, homens santos que santifica porque repletos do Espírito irradia a toda a multidão. Somos homens públicos, da multidão. Nossa tarefa é colaborar com a Igreja a fim de instaurare omnia in Christo. Como afirma Dom Orione “a Pequena Obra quer servir com amor”. Por isso, nas nossas portas “não se pergunta a quem entra se tem um nome, mas se tem um sofrimento” (DOM ORIONE AOS SEUS RELIGIOSOS, 1987, p.238s).  

Nossa gratidão a Deus que nos escolheu, a nossos familiares, aos provinciais por terem se agradado de nós. Muito obrigado à equipe formativa: Pe. Jorge, Pe. Otávio e Pe. Luiz. Gratos ao Pe. Erli que nos acolhe nesse ministério. Obrigado aos nossos confrades estudantes de teologia. Somos felizes pela presença dos companheiros de faculdade (o ISTA), pelos professores e funcionários.

Agradecemos de coração às madrinhas e padrinhos das vocações, o coral, equipe de liturgia, decoração, aos membros das comunidades, a todos os fieis leigos das diversas pastorais da paróquia. De fato, “fazem o bem sempre”, como quer Dom Orione.

Coração honrado pelos que vieram de perto e de longe. Somos a Igreja do pão partilhado. Nossos eventos têm o suporte do Lar dos meninos Dom Orione. Nossa eterna gratidão ao Pe. Rezende e toda comunidade religiosa.

Enfim, somos profundamente gratos a Dom Edson que confirmou nossa escolha, sua simplicidade e profundidade de bom pastor enriquece nossa missão diaconal.   

Que Deus, que nos inspirou neste bom propósito, com o auxílio de Nossa Senhora da Divina Providência e São Luís Orione, nos conduza sempre mais à perfeição.

 

Ave Maria e avante!

 

 

 

Share This