Ananindeua

A missão orionita de Ananindeua


 


Ananindeua é uma cidade localizada na periferia de Belém, capital do Pará. Belém tem cerca de 2 milhões de habitantes, contando sua região metropolitana. O clima é tipicamente equatorial, com sol forte e chuva frequente durante quase todo o ano, com umidade elevada, quase sem diferença de temperatura do dia para a noite. No período em que estive lá, choveu todo dia e várias vezes ao dia. E quanta água!


Os nossos confrades estão há quase 40 anos convivendo num bairro bastante pobre, nascido de uma ocupação ilegal de uma área periférica. Ananindeua conta hoje com mais de 500 mil habitantes. Uma cidade, ainda hoje, praticamente abandonada pelos poderes públicos, com sérios problemas de segurança social.


A nossa paróquia de “Cristo Rei”, reúne mais de 55 mil pessoas, é uma fronteira missionária. A igreja matriz está em reconstrução. É belíssima, ampla. Cresce pouco a pouco somente com o dinheiro doado pelos próprios paroquianos. São ao todo sete comunidades com suas próprias capelas, organizadas como comunidades cristãs.


Atualmente a comunidade religiosa é composta de 4 confrades: Padre Vicente Lotte, pe. Elio Frison, Diácono Francisco Câmara e clérigo Ivanildo Ferreira.


A casa da comunidade é muito simples e pobre, acolhe também um grupo vocacional e dá espaço a uma pequena escola local com 400 crianças nos dois turnos. Tudo muito simples e pobre. Há uma grande demanda por vagas, mas não se dispõe de mais espaço.


Durante a visita canônica, veio nos visitar o arcebispo de Belém, Dom Alberto Tavera, que não dispensou bondosas palavras de elogio aos confrades, por sua desenvoltura, zelo pastoral e estilo simples de trabalhar.


Dom Flávio Peloso, superior geral


Trad. CSM


 



Dom Flávio, ao centro, com os confrades orionitas de Ananindeua-PA.





A igreja matriz da paróquia Cristo Rei, está sendo construída com recursos da própria comunidade.





A escola mantida pelos padres orionitas junto à igreja.





Dom Alberto Tavera, arcebispo de Belém, em reunião com os confrades: elogio ao jeito simples de ser igreja junto com o povo.





Vista do bairro a partir da torre da igreja matriz.








Dom Flávio com as leigas consagradas do Instituto Secular Orionita.






Share This